segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Sonhos na realidade

Saímos de mãos dadas, por fora do tempo e naquela dimensão do universo, em que sempre estás comigo. Caminhámos, leves e seguros na paisagem que um ainda longínquo amanhecer ilumina, silenciosos porque as palavras, aqui, não são necessárias. Comunicámos, em silêncio, sobre os temas de sempre: A beleza e os mistérios da vida, as pequenas realizações que vamos conseguindo e também, os grandes sonhos que sonhámos, não para nós, mas para o mundo depois de nós. Que continuam vivos, mesmo se às vezes parecem completamente inatingíveis: a vitória dos afectos, o triunfo da solidariedade e a marcha lenta da Humanidade no caminho da transcendência dos egos, até à completa compreensão do universo que somos em Universo. Vejo o teu sorriso iluminado e terno e sinto, como sempre, a tua tolerância para as imperfeições todas, a tua paciência para buscar um trilho, a tua força que me serve de suporte e a tua esperança inabalável em amanhãs diferentes, que me guia sempre... As nossas mãos entrelaçadas com força e o teu olhar profundo encontrando o meu. Instigas-me a não desistir. A viver também por ti e eu prometo-te que sim, que não desistirei... desde que possa continuar a encontrar-me, assim, contigo...
Foto de cristal - Varela 1997

6 comentários:

Justine disse...

Rendo-me, emocionada, à ternura do teu texto, e a tudo o que ele transmite de força, saudade e determinação.
Abraço, amiga:))

Pulsante disse...

Ainda bem que me convidastes para cá vir hoje. Logo hoje em que caminhaste assim tanto e tão bem com ele.
Sem querer aborrecer peço-te que quando puderes lhe mandes um abraço, lá nessa vossa - e só vossa - dimensão. Um abraço de um amigo a outro.
Quando for a hora certa iremos por a conversa em dia.
E tu..tu pega um beijo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Lindo texto, que me asenta como uma luva. Mas até quando conseguirei resistir?

M. disse...

Tão bonito este encontro!

mdsol disse...

Bolas que me emocionaste! E andavas tu a hesitar escrever!
beijos

catavento disse...

que bonito regresso a casa.